Outras Notícias

  • Faleceu Carlos do Carmo 04-01-2021

    Ao tomar conhecimento do falecimento de Carlos do Carmo, personalidade ímpar da cultura portuguesa, da música, um dos maiores intérpretes do fado, democrata e...

  • CPPC homenageia Rui Namorado Rosa e 70 anos de luta pela paz 17-03-2019

    O CPPC homenageou Rui Namorado Rosa, membro da sua Presidência e que durante anos assumiu as funções de presidente e vice-presidente da direcção nacional. A...

  • Faleceu Armando Caldas 13-03-2019

    Hoje, 13 de Março de 2019, o encenador e actor, membro da Presidência do Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC), Armando Caldas, deixou-nos. Com um...

  • Homenagem a Rui Namorado Rosa 11-03-2019

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação tem o privilégio de contar com a participação, nos seus órgãos sociais, de Rui Namorado Rosa, que foi seu...

  • Falecimento de Vítor Silva 08-08-2018

    A Direcção Nacional do Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) lamenta informar do falecimento de Vítor Silva, ocorrido na madrugada de hoje. Membro do...

FacebookTwitterRSS Feed

concerto pela paz lisboa artistas 5 20200310 1253041279

4 DE ABRIL - 15H30 - FÓRUM LISBOA - Entrada Livre

Jorge Rivotti, nasceu no Brasil a 16 de Fevereiro de 1962, no dia de aniversário de Carlos Paredes.

Percorreu o oceano Atlântico com os pais, no ano de 63, desembarcando em Paris onde viveu parte da sua infância, cerca de cinco anos, vindo depois para Portugal onde obteve um contacto maior e mais direto com a música, devido a raízes familiares.

Quis conhecer de perto a Música, tornar-se seu parceiro. Como um amor à primeira vista, os verdadeiros sons, aqueles que muita gente ignora. Sempre gostou da música de intervenção, aquela que através das palavras cantadas passava uma mensagem aos ouvintes. Por isso investiu em si e na sua aptidão.

Estudou no Conservatório: Composição, Canto, Guitarra, Piano, Flauta de bisel, Flauta transversal, teoria da Musica, História da música e Acústica. Fez parte do coro e do grupo de música tradicional, onde foi colega do vocalista dos Quinta do Bill, seguindo-lhe o exemplo de dar aulas para sobreviver no mundo artístico.

Cresceu assim: cantou para centenas, assimilou vozes, pulsares entusiásticos. E como diz “Tem a convicção que a música é conduzir a vida pela direita, não vestir o casaco ao contrário, é respeitar a natureza das coisas. Sentir a Vibração dos Sons.”