Outras Notícias

  • Faleceu Carlos do Carmo 04-01-2021

    Ao tomar conhecimento do falecimento de Carlos do Carmo, personalidade ímpar da cultura portuguesa, da música, um dos maiores intérpretes do fado, democrata e...

  • CPPC homenageia Rui Namorado Rosa e 70 anos de luta pela paz 17-03-2019

    O CPPC homenageou Rui Namorado Rosa, membro da sua Presidência e que durante anos assumiu as funções de presidente e vice-presidente da direcção nacional. A...

  • Faleceu Armando Caldas 13-03-2019

    Hoje, 13 de Março de 2019, o encenador e actor, membro da Presidência do Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC), Armando Caldas, deixou-nos. Com um...

  • Homenagem a Rui Namorado Rosa 11-03-2019

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação tem o privilégio de contar com a participação, nos seus órgãos sociais, de Rui Namorado Rosa, que foi seu...

  • Falecimento de Vítor Silva 08-08-2018

    A Direcção Nacional do Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) lamenta informar do falecimento de Vítor Silva, ocorrido na madrugada de hoje. Membro do...

Amora

  • Dia da Paz | Cidadania Global | Amora

    dia da paz cidadania global 1 20190510 1018204884

  • Paz e Direitos Humanos: um mundo melhor é possível

    No âmbito do Projeto “ Paz e Direitos Humanos: um mundo melhor é possível” realizou-se no dia 10 de Dezembro na Escola Secundária Manuel Cargaleiro, um colóquio subordinado ao tema Paz e Direitos Humanos, este colóquio teve a presença de Carlos Carvalho, dirigente do Conselho Português para a Paz e Cooperação e nele estiveram presentes  turmas do 11º ano e o CEF2.
    Teve este colóquio o objectivo de sensibilizar os alunos para a problemática dos Direitos Humanos: relembrar que a Organização das Nações Unidas aprovou em 1948, no dia 10 de Dezembro, a Declaração Universal dos Direitos Humanos e 40 anos depois do 25 de Abril, muitos deles continuam sem ser cumpridos quer em Portugal quer nos restantes países.
    A sessão decorreu de forma viva e com intervenções pertinentes por parte da assistência
    Por último uma palavra de esperança e confiança, a convicção de que os Direitos Humanos poderão um dia ser vividos em plenitude pelos seres humanos, bastando que para isso os cidadãos se empenhem seriamente na sua aplicação.
    Um mundo melhor é possível se assim quisermos.