Concerto pela Paz, promovido pelo Conselho Português para a Paz e Cooperação, em Gaia, com apoio da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia e da Associação de Colectividades de Gaia, no dia 18 de Março, em que participaram: Academia de Música de Vilar do Paraíso, Associação Cultural e Musical de Avintes, Conservatório Superior de Música de Vila Nova de Gaia, Escola de Música de Perosinho, Ginasiano Escola de Dança, Ilha Mágica, Orfeão da Madalena e o pianista Sérgio Garcia. Apresentou a actriz Olga Dias.

Pelo palco passaram cerca de 100 artistas desde os mais jovens da Escola de Música de Perosinho , da Academia de Música de Vilar do Paraíso, do Ginasiano Escola de Dança e do Coro dos alunos de teatro e direcção musical do Conservatório Superior de Música de Gaia, até artistas mais idosos como a Turma de Dança da Universidade Sénior de Avintes, diversos outros artistas, professores e maestros das várias organizações que participaram no Concerto Pela Paz, incluindo a Ilha Mágica e o Orfeão da Madalena.

Em representação do Conselho Português para a Paz e Cooperação, Joana Espain leu poemas da sua autoria dedicadas às crianças vítimas da Guerra e Ilda Figueiredo, presidente da Direcção Nacional do CPPC agradeceu a participação empenhada no Concerto para afirmar, a muitas vozes, a nossa indignação face às guerras de agressão e expressar, a muitas vozes também, a nossa solidariedade com os povos vítimas do colonialismo, de actos de ingerência externa e de conflitos armados, de injustiças e desigualdades sociais, da opressão, do desrespeito da sua soberania e independência nacionais. E dizermos todos PAZ Sim! Guerra Não! Afirmou também que "Em vez de conflitos armados, guerras, ingerências, novos colonialismos e corrida aos armamentos, reafirmamos aqui o nosso compromisso com a Paz, tendo por base o artigo 7º da Constituição da República Portuguesa e a Carta da Nações Unidas, na exigência do fim das armas de destruição massiva, incluindo as armas nucleares, o fim da corrida aos armamentos e da militarização das relações internacionais, a exigência da dissolução dos blocos político-militares, a promoção dos valores de Abril também na política externa portuguesa, na defesa da cooperação e amizade entre os povos do mundo, preconizando a abolição do imperialismo, do colonialismo e de quaisquer outras de agressão, domínio e exploração. Queremos uma ordem internacional capaz de assegurar a justiça nas relações entre os povos, na defesa da emancipação e progresso da humanidade.

Este ano iremos assinalar o 40º aniversário da aprovação da Constituição da República Portuguesa pelo que significa de contributo para a Paz, dando particular atenção às actividades de educação e do desenvolvimento de uma cultura de Paz, de que é exemplo este Concerto pela Paz, sem dúvida um marco muito importante nas nossas actividades, e o primeiro realizado em colaboração com a CM de Vila Nova de Gaia, dando continuidade ao que promovemos no Porto, no passado dia 9 de Janeiro, com o apoio da Câmara Municipal do Porto. "