Outras Notícias

  • Faleceu Carlos do Carmo 04-01-2021

    Ao tomar conhecimento do falecimento de Carlos do Carmo, personalidade ímpar da cultura portuguesa, da música, um dos maiores intérpretes do fado, democrata e...

  • CPPC homenageia Rui Namorado Rosa e 70 anos de luta pela paz 17-03-2019

    O CPPC homenageou Rui Namorado Rosa, membro da sua Presidência e que durante anos assumiu as funções de presidente e vice-presidente da direcção nacional. A...

  • Faleceu Armando Caldas 13-03-2019

    Hoje, 13 de Março de 2019, o encenador e actor, membro da Presidência do Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC), Armando Caldas, deixou-nos. Com um...

  • Homenagem a Rui Namorado Rosa 11-03-2019

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação tem o privilégio de contar com a participação, nos seus órgãos sociais, de Rui Namorado Rosa, que foi seu...

  • Falecimento de Vítor Silva 08-08-2018

    A Direcção Nacional do Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) lamenta informar do falecimento de Vítor Silva, ocorrido na madrugada de hoje. Membro do...

CUADRO FLAMENCO

Cuadro Flamenco nasceu, com a formação que ainda hoje se mantém, no ano de 2000. Mulheres e o Flamenco é o mote na criação.

Cuadro Flamenco, tem-se apresentado nas várias localidades do país, quer seja em Teatros, ou Auditórios, quer em espetáculos ao ar livre. De salientar as apresentações nos Casinos da Figueira da Foz, do Estoril, 1ª parte do Espetáculo de Cesária Évora (por ocasião da abertura da Feira de Artes e Cultura de Monsaraz), na FIL, Expo 98, no âmbito do 1º 2º Encontros Nacionais de Dança, em Tomar e Beja, respetivamente, e em Outubro de 2000, apresenta-se na FNAC, naquele que foi o primeiro espetáculo de Dança da Fnac em Portugal.

Para o elenco trata-se de uma convicção artística, fazer da dança um veículo de comunicação, um meio de passar uma mensagem ao grande público. Sem desvirtuar a questão artística, o objetivo da Companhia é romper com o conceito de elites e de micro-públicos, levando a dança ao Grande Público.

É por isso a única Companhia de Dança Espanhola portuguesa a desenvolver espetáculos “de auditório”, em regime contínuo desde a sua formação, e a suscitar no público e na imprensa nacional a curiosidade pelos seus próximos trabalhos.

Das suas digressões, destaca-se o espetáculo “Ventos do Oriente, Ventos do Ocidente” (2006/2008), um espetáculo pioneiro por fazer a fusão de Fado, Flamenco e Dança Oriental, com o objetivo de relembrar à sociedade atual as raízes profundas que a cultura árabe deixou no Ocidente.

Para a temporada de 2011/2012, o Cuadro Flamenco convida Tucanas para “El Sonido de la Tierra”, uma celebração da energia feminina.
A música e a dança unidas nas linguagens do Flamenco, Dança Cigana e Oriental de Fusão, Dança Contemporânea (onde aqui e ali se sente o Fado...) e Percussão ao vivo. Um espetáculo que reúne diferentes linhas estético-coreográficas, propondo o corpo como fonte de música e o instrumento em forma de movimento.

Para além das habituais digressões, o Cuadro Flamenco desenvolveu um formato de espetáculo, adaptado a eventos particulares / empresariais, onde para além da sua performance, criam interação com o público/convidados, permitindo-lhes viver por momentos o melhor da Dança Espanhola.

O elenco residente é composto pelas solistas Lucília Bahleixo e Stela Lázaro e por um Corpo de Baile com mais 2 intérpretes.

A direção artística está a cargo de Lucília Bahleixo.