Outras Notícias

  • Faleceu Carlos do Carmo 04-01-2021

    Ao tomar conhecimento do falecimento de Carlos do Carmo, personalidade ímpar da cultura portuguesa, da música, um dos maiores intérpretes do fado, democrata e...

  • CPPC homenageia Rui Namorado Rosa e 70 anos de luta pela paz 17-03-2019

    O CPPC homenageou Rui Namorado Rosa, membro da sua Presidência e que durante anos assumiu as funções de presidente e vice-presidente da direcção nacional. A...

  • Faleceu Armando Caldas 13-03-2019

    Hoje, 13 de Março de 2019, o encenador e actor, membro da Presidência do Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC), Armando Caldas, deixou-nos. Com um...

  • Homenagem a Rui Namorado Rosa 11-03-2019

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação tem o privilégio de contar com a participação, nos seus órgãos sociais, de Rui Namorado Rosa, que foi seu...

  • Falecimento de Vítor Silva 08-08-2018

    A Direcção Nacional do Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) lamenta informar do falecimento de Vítor Silva, ocorrido na madrugada de hoje. Membro do...

O Auditório Conde Ferreira, em Sesimbra, recebeu no sábado, 8, uma sessão pública do CPPC e da Câmara Municipal na qual se evocou o movimento dos municípios Zonas Livres de Armas Nucleares (ZLAN), e se inaugurou a exposição «100 anos da Grande Guerra e a Luta pela Paz». Participaram, pelo CPPC, o vice-presidente Rui Namorado Rosa – que recordou a história da luta, no Mundo e no País, contra as Armas Nucleares – e Gustavo Carneiro, da Direcção Nacional, a quem coube apresentar a exposição e abordar as questões nela tratadas. Da parte do município, estiveram presentes os presidentes da Câmara Municipal, Augusto Pólvora, e da Assembleia Municipal, Odete Graça.

Sesimbra foi o primeiro município do País a assumir-se, por deliberação própria, Zona Livre de Armas Nucleares, numa reunião da Assembleia Municipal realizada a 12 de Abril de 1983. A 17 de Novembro do ano seguinte, passam agora 30 anos, acolheu um Encontro de Activistas da Paz que impulsionou o alargamento do processo a muitos municípios da Península de Setúbal e de outras regiões, a norte e a sul do Tejo.