Foi com grande satisfação que o Conselho Português para a Paz e Cooperação recebeu a notícia de que a Áustria ratificou o Tratado de Proibição de Armas Nucleares no passado dia 21, sendo o primeiro país da União Europeia a fazê-lo. Para além da Áustria, só outro estado membro da UE assinou o mesmo, a Irlanda. Esta posição, sendo positiva, constitui mais um passo para a entrada em vigor do tratado que ocorrerá depois de 50 estados o ratificarem e a ele aderirem formalmente.

O CPPC, que tem em curso uma campanha pela adesão de Portugal ao Tratado, do qual consta uma petição que já recolheu mais de 6000 assinaturas, apela às autoridades portuguesas para que sigam o exemplo da Áustria, contribuindo assim para o futuro da Humanidade num mundo de paz e segurança. Portugal tem o dever de o fazer, pois a Constituição da República Portuguesa, no seu artigo 7.º, consagra o desarmamento geral, simultâneo e controlado como um dos seus princípios.

Até ao momento o Tratado foi ratificado por oito estados: para além da Áustria, Cuba, Guiana, México, Palestina, Santa Sé, Tailândia e Venezuela, sendo que os Estados que o assinaram ascendem a 57.

Direcção Nacional do CPPC