Outras Notícias

  • Faleceu Carlos do Carmo 04-01-2021

    Ao tomar conhecimento do falecimento de Carlos do Carmo, personalidade ímpar da cultura portuguesa, da música, um dos maiores intérpretes do fado, democrata e...

  • CPPC homenageia Rui Namorado Rosa e 70 anos de luta pela paz 17-03-2019

    O CPPC homenageou Rui Namorado Rosa, membro da sua Presidência e que durante anos assumiu as funções de presidente e vice-presidente da direcção nacional. A...

  • Faleceu Armando Caldas 13-03-2019

    Hoje, 13 de Março de 2019, o encenador e actor, membro da Presidência do Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC), Armando Caldas, deixou-nos. Com um...

  • Homenagem a Rui Namorado Rosa 11-03-2019

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação tem o privilégio de contar com a participação, nos seus órgãos sociais, de Rui Namorado Rosa, que foi seu...

  • Falecimento de Vítor Silva 08-08-2018

    A Direcção Nacional do Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) lamenta informar do falecimento de Vítor Silva, ocorrido na madrugada de hoje. Membro do...

 solidariedade com o saara ocidental uma biblioteca no deserto 1 20190802 1210829063

No passado dia 10, na sede da Fundação Saramago, em Lisboa, realizou-se a iniciativa de lançamento público da campanha Uma Biblioteca no Deserto. Esta iniciativa, promovida pelo Conselho Português para a Paz e Cooperação, pela CGTP-IN e pela Fundação Saramago, incluiu a inauguração da exposição fotográfica “Cinco olhares sobre o Saara Ocidental” - com fotografias de Helena Costa, José Frade, Reinaldo Rodrigues, Inês Seixas e José Baguinho -, um debate com a presença dos dois ativistas da UJSARIO de visita ao nosso país e de Filipe Ferreira da Direcção Nacional do CPPC, tendo terminado com um momento de música saarauí e convívio junto à oliveira que acolhe as cinzas de José Saramago.

A Campanha Uma Biblioteca no Deserto, consistirá na recolha de livros em castelhano para a criação de uma biblioteca nos acampamentos de refugiados saarauís na região de Tindouf, na Argélia. Esta campana será, acima de tudo, uma chamada de atenção para a necessidade da resolução da questão saarauí, com o fim da ocupação marroquina e o respeito do direito do povo saarauí à independência e autodeterminação.