Outras Notícias

  • Faleceu Carlos do Carmo 04-01-2021

    Ao tomar conhecimento do falecimento de Carlos do Carmo, personalidade ímpar da cultura portuguesa, da música, um dos maiores intérpretes do fado, democrata e...

  • CPPC homenageia Rui Namorado Rosa e 70 anos de luta pela paz 17-03-2019

    O CPPC homenageou Rui Namorado Rosa, membro da sua Presidência e que durante anos assumiu as funções de presidente e vice-presidente da direcção nacional. A...

  • Faleceu Armando Caldas 13-03-2019

    Hoje, 13 de Março de 2019, o encenador e actor, membro da Presidência do Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC), Armando Caldas, deixou-nos. Com um...

  • Homenagem a Rui Namorado Rosa 11-03-2019

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação tem o privilégio de contar com a participação, nos seus órgãos sociais, de Rui Namorado Rosa, que foi seu...

  • Falecimento de Vítor Silva 08-08-2018

    A Direcção Nacional do Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) lamenta informar do falecimento de Vítor Silva, ocorrido na madrugada de hoje. Membro do...


30 de Março de 1976 deixa na memória do povo palestino um dia marcado por uma greve geral e grandes manifestações de protesto, resultado da repressão provocada pelas forças armadas de Israel, nas quais foram assassinados 6 jovens palestinos e centenas foram presos ou feridos por militares israelitas que ilegalmente pretendiam expropriar a população para construírem colonatos.

É um dia que representa a resistência e luta do povo palestino contra a ocupação de Israel, pelo direito a uma Palestina livre e independente.


Na Palestina, todos os dias são violados direitos humanos básicos, como o direito à água, o direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal. Ninguém pode ser arbitrariamente privado da sua propriedade, e, no entanto, o que Israel tem feito ao longo dos anos é apropriar-se de território e recursos naturais que não lhe pertencem, destruindo casas fazendo com que centenas de famílias palestinas fiquem desalojadas e privadas de recursos (água, escolas, hospitais...).

O Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC), reconhece o direito dos povos à autodeterminação e independência e ao desenvolvimento, bem como o direito à insurreição contra todas as formas de opressão, tal como consagrado na Constituição da República Portuguesa (artigo 7º), e, por isso, mais uma vez apresenta, neste dia, a sua solidariedade para com o povo palestino e a sua luta por uma Palestina livre e soberana.

O CPPC exige que seja cumprido o direito do povo palestino a um Estado viável, livre e soberano nas fronteiras estabelecidas antes de 1967, que seja cumprida e respeitada a Declaração Universal dos Direitos Humanos e as resoluções da ONU sobre os direitos do povo palestino, sendo premente:

- o fim da ocupação ilegal israelita de territórios palestinos e o fim das agressões perpetradas contra o povo da Palestina;

- o fim dos colonatos na Cisjordânia e do bloqueio a Gaza;

- o desmantelamento do muro de separação;

- a libertação dos presos políticos palestinos das prisões israelitas;

- o reconhecimento do direito do regresso dos refugiados.